Pode parecer natural para algumas pessoas e até mesmo algo aquém das expectativas de quem pensa que uma casa inteligente é apenas dotada de grande tecnologia. O aproveitamento da luz natural, ou seja, do sol deve ser parte do projeto de qualquer ambiente que quer se destacar pela qualidade da iluminação, beleza e capacidade de ser eficiente, com todas essas valências simultâneas.

24% da energia é gasta para iluminação

Com tais números, é evidente que as luzes são muito importantes por fazerem a vez da luz natural, proporcionando à sociedade contemporânea mais tempos para realizar suas atividades. Mas quando se contrata uma empresa que pensa em qualidade e economia de energia, como a Delmak Automação, é fundamental que os cômodos pensados não sejam impedidos de usar a luz que entra pelas janelas, trazendo um clima diferenciado, qualidade de vida e menor necessidade de lâmpadas ligadas durante o dia. Tais circunstâncias deveriam serem pensadas no ato da concepção do projeto de engenharia. Porém, os projetos de automação residencial devem contemplar, por exemplo, cortinas motorizadas que permitam uso de luz natural em detrimento das lâmpadas.

Dimmers eletrônicos, para compensar luz deficitária

Quando mesmo com a luz natural, o ambiente ainda não está devidamente iluminado, há, atualmente, tecnologia que permite que essa luz seja emitida na porção necessária para realizar essa compensação sem gastos. Os dimmers eletrônicos tem a capacidade de cortar a energia que vai às lâmpadas, evitando que seja gasta a energia, mesmo sem o equipamento gerar a luminosidade devida. Isso acontecia nos modelos mecânicos que não tinham a capacidade de realizar os cortes de energia e usavam o desperdício como forma de controlar a intensidade.

Com tais sistemas integrados, tudo ficará mais eficiente e ainda mais belo. Por exemplo, ao acordar, ao invés de usar despertadores e luzes fortes, pode-se usar luz solar como principal elemento da iluminação diurna, trazendo muito mais qualidade de vida.

Pode parecer natural para algumas pessoas e até mesmo algo aquém das expectativas de quem pensa que uma casa inteligente é apenas dotada de grande tecnologia. O aproveitamento da luz natural, ou seja, do sol deve ser parte do projeto de qualquer ambiente que quer se destacar pela qualidade da iluminação, beleza e capacidade de ser eficiente, com todas essas valências simultâneas.

24% da energia é gasta para iluminação

Com tais números, é evidente que as luzes são muito importantes por fazerem a vez da luz natural, proporcionando à sociedade contemporânea mais tempos para realizar suas atividades. Mas quando se contrata uma empresa que pensa em qualidade e economia de energia, como a Delmak Automação, é fundamental que os cômodos pensados não sejam impedidos de usar a luz que entra pelas janelas, trazendo um clima diferenciado, qualidade de vida e menor necessidade de lâmpadas ligadas durante o dia. Tais circunstâncias deveriam serem pensadas no ato da concepção do projeto de engenharia. Porém, os projetos de automação residencial devem contemplar, por exemplo, cortinas motorizadas que permitam uso de luz natural em detrimento das lâmpadas.

Dimmers eletrônicos, para compensar luz deficitária

Quando mesmo com a luz natural, o ambiente ainda não está devidamente iluminado, há, atualmente, tecnologia que permite que essa luz seja emitida na porção necessária para realizar essa compensação sem gastos. Os dimmers eletrônicos tem a capacidade de cortar a energia que vai às lâmpadas, evitando que seja gasta a energia, mesmo sem o equipamento gerar a luminosidade devida. Isso acontecia nos modelos mecânicos que não tinham a capacidade de realizar os cortes de energia e usavam o desperdício como forma de controlar a intensidade.

Com tais sistemas integrados, tudo ficará mais eficiente e ainda mais belo. Por exemplo, ao acordar, ao invés de usar despertadores e luzes fortes, pode-se usar luz solar como principal elemento da iluminação diurna, trazendo muito mais qualidade de vida.

Casas inteligentes privilegiam a luz natural

Pode parecer natural para algumas pessoas e até mesmo algo aquém das expectativas de quem pensa que uma casa inteligente é apenas dotada de grande tecnologia. O aproveitamento da luz natural, ou seja, do sol deve ser parte do projeto de qualquer ambiente que quer se destacar pela qualidade da iluminação, beleza e capacidade de ser eficiente, com todas essas valências simultâneas.

24% da energia é gasta para iluminação

Com tais números, é evidente que as luzes são muito importantes por fazerem a vez da luz natural, proporcionando à sociedade contemporânea mais tempos para realizar suas atividades. Mas quando se contrata uma empresa que pensa em qualidade e economia de energia, como a Delmak Automação, é fundamental que os cômodos pensados não sejam impedidos de usar a luz que entra pelas janelas, trazendo um clima diferenciado, qualidade de vida e menor necessidade de lâmpadas ligadas durante o dia. Tais circunstâncias deveriam serem pensadas no ato da concepção do projeto de engenharia. Porém, os projetos de automação residencial devem contemplar, por exemplo, cortinas motorizadas que permitam uso de luz natural em detrimento das lâmpadas.

Dimmers eletrônicos, para compensar luz deficitária

Quando mesmo com a luz natural, o ambiente ainda não está devidamente iluminado, há, atualmente, tecnologia que permite que essa luz seja emitida na porção necessária para realizar essa compensação sem gastos. Os dimmers eletrônicos tem a capacidade de cortar a energia que vai às lâmpadas, evitando que seja gasta a energia, mesmo sem o equipamento gerar a luminosidade devida. Isso acontecia nos modelos mecânicos que não tinham a capacidade de realizar os cortes de energia e usavam o desperdício como forma de controlar a intensidade.

Com tais sistemas integrados, tudo ficará mais eficiente e ainda mais belo. Por exemplo, ao acordar, ao invés de usar despertadores e luzes fortes, pode-se usar luz solar como principal elemento da iluminação diurna, trazendo muito mais qualidade de vida.